Superior nos dois tempos de partida, Paysandu vence o Remo por 3 a 1

A vitória dos bicolores deixa encaminhada a classificação para a próxima fase do Campeonato Paraense. Já o Leão de Zé Teodoro tem apenas mais um jogo

ogando com autoridade, o Paysandu venceu o Remo por 3 a 1 neste domingo, dia 29, no Estádio Olímpico do Pará, o Mangueirão, em jogo válido pela quarta rodada do Campeonato Paraense. Dão abriu o placar, Yago Pikachu ampliou a vantagem, Paty descontou para os azulinos, mas Bruno Veiga garantiu os três pontos para os bicolores.

(Foto: Ascom Paysandu)

(Foto: Ascom Paysandu)

A vitória deu ao Papão a segunda colocação do grupo B com seis pontos em três jogos, bem perto da vaga na fase semifinal. O Remo se manteve na vice-liderança do “A” com sete pontos conquistados em quatro partidas. Antes da rodada derradeira no domingo, o Paysandu ainda recebe o Independente no meio de semana.
Paysandu superior nos dois tempos

O primeiro tempo foi todo do Paysandu. Melhor armado por Dado Cavalcanti, os bicolores criaram mais oportunidades desde o começo e conseguiram abrir o marcador em lance de bola parada com o zagueiro Dão. O Papão ainda teve a chance de ampliar logo em seguida com Bruno Veiga, que acertou a trave. Aylon também aparecia bem pelos dois lados do campo.

Já o time do Remo, apático, pouco levou perigo à meta de Emerson. Eduardo Ramos não conseguia fazer a função de armador e Bismark, que é veloz, acrescentou em quase nada aos companheiros do meio para frente. Quem também não estava em uma tarde inspirada era o volante Dadá. Errou toques bobos e quase entregou um gol ao adversário.
Na volta para os últimos 45 minutos, o Paysandu estava mais aceso e conseguiu ampliar em cobrança de pênalti, que foi convertida por Pikachu. O Leão, por outro lado, tentava encontrar forças para reagir com Rony em campo, mas ainda assim, equipe de Zé Teodoro não teve mais que lampejos. Em um deles, Flávio Caça-Rato acertou uma bomba, que explodiu na trave.

Quando a vitória do Paysandu parecia sacramentada, os azulinos acharam um pênalti, contestado pelos jogadores bicolores. Paty descontou e a partida ganhou em emoção, mas por poucos minutos, até que Souza ajeitou para Bruno Veiga matar o jogo ao marcar o terceiro do Paysandu. Final: 3 a 1 Papão.

GE

Bicolores apostam no entrosamento

O atacante Bruno Veiga afirma que o Papão de hoje está bem mais entrosado do que no Re-Pa do início da temporada (Foto: Mário Quadros)

O atacante Bruno Veiga afirma que o Papão de hoje está bem mais entrosado do que no Re-Pa do início da temporada (Foto: Mário Quadros)

De fora do jogo da última quarta-feira em função de uma lesão que sofreu na coxa, o atacante Bruno Veiga, 25 anos, é uma das armas do Paysandu para os clássicos que o time fará contra o maior rival, o Remo.

O atacante tem se constituído na principal referência do ataque do Papão, embora tenha marcado até aqui apenas três gols, dois deles pela Copa Verde e o outro pela Copa do Brasil. Hoje, no primeiro Re-Pa decisivo da série que vem por aí, o atacante espera aumentar sua marca e se firmar de vez como o goleador time, posto ocupado atualmente por Yago Pikachu, com quatro gols.

Neste bate-papo, Veiga fala sobre a sua expectativa para o Re-Pa e diz, entre outras coisas, que o jogo de hoje tem a mesma importância que o Re-Pa amistoso do início da temporada.

Diário do Pará: Você hoje se sente bem melhor do que no primeiro Re-Pa para encarar o maior adversário bicolor?

Bruno Veiga: Com certeza, no primeiro clássico estávamos iniciando uma temporada, tínhamos feitos poucos treinamentos juntos, o nosso time agora é que está se encaixando. Tenho certeza que serão grandes jogos.

Diário: Há muita diferença entre jogar um amistoso, como foi o primeiro Re-Pa do ano, e clássico decisivo? Como serão esses próximos confrontos?

Veiga: Clássicos sempre são importantes, não existe isso de ser amistoso e perder o valor. Ninguém quer perder. A única diferença é que no início do ano não tínhamos uma formação e nem entrosamento, agora já temos. Na Copa Verde tem um diferencial a mais por ser eliminatório, mas isso com certeza nos dará mais motivação pra fazer uma boa partida.

Diário: Existe favorito ou as condições estão equilibradas?

Veiga: Jogos como o Re-Pa, um dos grandes clássicos do futebol brasileiro, nunca têm favorito, mas com certeza as duas equipes estão em condições bem equilibradas e vai vencer a equipe que tiver menos erros durante os 90 minutos de cada uma das partidas.

Diário: Depois dessa série de jogos ao lado do Aylon, o entrosamento com o companheiro já é o ideal ou ainda falta alguma coisa?

Veiga: Eu e o Aylon estamos ganhando, aos poucos, um bom entrosamento. Acho que já evoluímos muito desde o primeiro jogo que fizemos até agora. Mas é claro que sempre falta alguma coisa, algo mais. Estamos trabalhando para atingirmos o mais rápido possível o entrosamento ideal.

DOL

Sem Andrey, Papão concentra para clássico

O goleiro trata uma lesão grau um. (Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)

O goleiro trata uma lesão grau um. (Foto: Mário Quadros/Diário do Pará)

Pode até não ser jogo decisivo, mas em dia de clássico tudo é decisão. Para o Re-Pa de domingo (29), Dado Cavalcanti terá o meia Rogerinho e o zagueiro Romário disponíveis para jogo.

A equipe já está concentrada.

Com uma nova lesão o goleiro Andrey está fora do clássico de amanhã. Diferente da lesão sofria anteriormente, que foi na coxa direita, e após uma lombalgia, o arqueiro não irá defende o PSC. Agora, Andrey está com uma lesão grau um no músculo posterior da coxa esquerda e deve ficar uma semana fora fazendo tratamento.

“É muito ruim ficar fora de clássico e isso chateia um pouco, mas já estou em tratamento e espero estar à disposição do treinador o mais rápido possível”, disse o goleiro.

Veja abaixo a relação completa dos jogadores:

Goleiros: Emerson e Paulo Ricardo

Zagueiros: Marquinhos, Pablo, Dão, Willian Alves e Romário

Laterais: Yago Pikachu e Marlon

Volantes: Augusto Recife, Jhonnatan, Ricardo Capanema e Radamés

Meias: Leandro Canhoto, Rogerinho e Djalma

Atacantes: Erico, Souza, Leandro Carvalho, Bruno Veiga, Aylon e Heber

DOL

Dado Cavalcanti ainda tem dúvidas sobre a equipe

O técnico Dado Cavalcanti deixou para hoje, num treino sem a presença da imprensa, a definição do time do Paysandu, que encara, amanhã, o Remo. O treinador tem dúvidas e, por isso, preferiu ganhar um tempo a mais para anunciar a formação. De antemão, no entanto, já se sabe que ele não poderá contar com o goleiro Andrey e o meia Carlinhos. O primeiro tratando de uma lesão na coxa direita e o segundo suspenso. Emerson será o goleiro titular, enquanto para o posto do apoiador pairam dúvidas entre Rogerinho, o mais cotado, e Leandro Canhoto.

Ontem, o treino da tarde, ministrado por Dado aos jogadores que foram a Tucuruí, se resumiu a uma atividade de finalização e posse de bola. Em seguida, os atletas foram levados à academia, onde trabalharam sob a orientação do preparador Antônio Teles. Os atletas que não enfrentaram o Galo foram exigidos em uma dose mais forte de trabalho de dois toques. Hoje, o grupo todo volta a se movimentar na Curuzu, quando a lista para o Re-Pa será definida pelo treinador.

O atacante Bruno Veiga, que ficou de fora do jogo em Tucuruí, por causa de uma lesão, treinou normalmente, ontem, e está à disposição de Dado. O jogador foi um dos escolhidos para conceder entrevista à imprensa. Em seu depoimento, Veiga previu uma boa dose de tensão no Re-Pa. “Isso é normal quando se trata de clássico. É uma coisa normal”, disse. O jogador observou que o Papão precisa da reabilitação. “Precisamos dar a resposta não só neste, mas em todos os demais jogos. As cobranças existem, mas temos de entrar com a cabeça boa para que o time consiga a vitória”, disse. Com a contusão de Andrey, o carioca Paulo Vitor, será o goleiro reserva.

EMERSON

O gaúcho Emerson fará, amanhã, diante do Remo, a sua quinta partida pelo Paysandu. Ele substituirá Andrey, que sofreu uma lesão na coxa direita e, ontem, foi definitivamente vetado pelos médicos. Emerson já havia entrado no jogo contra o Independente, quando o titular sentiu a contusão. Em outras duas partidas, também pelo Parazão, o goleiro entrou no decorrer dos 90 minutos e em outras duas jogou os 90 minutos. Ontem, ao receber a informação de que será o titular no Re-Pa, Emerson assegurou estar pronto para encarar o desafio.

“A gente tem de estar sempre preparado. A gente nunca sabe quando vai entrar no time. Procuro sempre me aprimorar a cada dia, procurando tirar o máximo de proveito dos treinos para estar apto a jogar”, disse. As cobranças em cima dos jogadores, provocadas pela derrota diante do Galo (2 a 0 ), segundo Emerson não o assusta. “A cobrança é muito grande, mas todo mundo sabia antes de vir para o Paysandu que todo time grande é assim. Então, todos estão conscientes do que devem fazer e da responsabilidade que o time tem”, salientou.

Para o goleiro, a equipe bicolor não deve deixar que o nervosismo prejudique o grupo no clássico. “Temos de ter bastante tranquilidade”, ensinou. “Estamos vindo de uma derrota e vamos disputar uma partida por uma competição importante. Isso tudo não pode atrapalhar o time, que tem de procurar fazer o melhor nos 90 minutos”, declarou.

Diário do Pará